October 26, 2005

GreyHome: "Sensodyne"


26 comments:

buhh que susto said...

Isto já saiu cá em Portugal? ahahaha pois pois ...

Fixe said...

Gostava de ver mais trabalhos assim em Portugal. Fixe!

Cintra Torres Jr. said...

hmm sopa quente e gelado para avivar a memória do problema que são as dores de quem tem os dentes sensíveis. Depois do significado do objecto passamos para o significante com as suas indumentárias associadas a quem gostar de dor. Nota 4 de 0-5.

HoneyWitch said...

gostei,simples e directo...

pepper said...

great idea. hot enough. very good.

Pedro Márcio said...

Você quem fez essa publicidade?

Você poderia especificar quando tiver sido você quem fez e quando tiver sido outra pessoa/agência!

Adorei. Ficou muito bem bolada. Engraçada e direta!

JoaquimPena said...

Muito bem produzido. Sim senhor.

Marquês de Sade said...

De categoria.
O modelo masculino por acaso não é o Director Criativo?
A menina já levava umas palmadas...

joao said...

quando este anúncio sair avisem, a sensodyne também quer saber. E outra coisa, nunca ninguem viu esta publicidade no brasil? Caro hidden, desde há muito que não via um post seu com tanta pouca qualidade.
E nem estou a comentar o passpartout e o lettring. Isto deve ter sido feito nalguma universidade.

great! said...

Fantástico! E se for verdade sobre o D.C., seria melhor ainda! Parabéns!

Student said...

Caro Joao, se souber a morada desta universidade, avise aos directores de arte do nosso mercado. Eu também gostava de saber.

joao said...

caro student (ou será melhor dizer director de arte do anuncio ou entao primo dele)...voçe não tem vergonha nessa cara? vem cá mostrar esse anúncio a uma entrevista numa grande agência, a ver o que acontece...ao menos, caso não sejam muito entendidos do assunto, não se ponham a dizer que é uma boa direcção de arte.FDX!!!!!
Com apenas duas frases o brilhante director de arte, conseguiu usar dois tipos de letra. Mas mais uma vez, indiquem-me onde saiu este anúncio, e já agora ficha técnica (para saber quem é o fotógrafo).

student said...

Ui... Serviu a carapuça?! Que grande agência trabalhas tu, ó grande João? Só para saber, pois deve ser grande só na tua imaginação. Também quero saber para nunca ir-lhe pedir uma entrevista, pois deves ser um daqueles directores de arte antiquados e retrógrados que possuem regras para se fazer um anúncio. Ou ainda, ter um manual.

ad-mirator said...

Hei guys, you're must be very crazy! Very nice ad.

Gourgeous said...

Não achei má direcção de arte. Se fores impor regras, com ter diferentes tipos de letras, a campanha da EMI (Grande prémio em Cannes deste ano) nunca existiria e por acaso também acho linda.

Peace maker said...

Ei, Joao, tenho de concordar com o(a) gourgeous. Não existem regras para direcção de arte. Gostares ou não do anúncio já é outra história.

Anonymous said...

Na Meios&Publicidade de sexta passada referiam que esta campanha iria para o ar esta semana. Vamos esperar para ver.

Marquês de SAD said...

Uma coisa é certa: quando o anúncio é diferente gera discussão. E é o caso. Até neste blogue onde raramente isso acontece. Só por isso, tem mérito. Pelo menos não é mais um anuncio com "pérolas num fundo a fazer uma dentição", ou "com um brilho tão grande que até não sei quê"...
E quanto a essa dos dois tipos de letra diferentes...por amor de deus...que comentariozinho "old-school"...

Anonymous said...

O hidden agora anda compenetrado a escrever para as presidências no blog bichos-carpinteiros; a mandatária do outro anda a puxá-lo para "maus" caminhos.

Anonymous said...

Pá, para além de outros tipos de reaccionarismo, viste o que o Bidarra disse do Soares no programa Eixo do Mal? Qual Edson Athayde, qual Bidarra, a nova geração vai meter avô Marocas no top-of-mind do país lololol

Edson Athayde said...

Ah ah ah o meu Fredinho ficou tão bem na foto... me faz lembrar os bons tempos da Edson FCB. Que saudade de te dar umas palmadas nessa bunda peludona, e levar umas chicotadas. Beijo procê. Aparece aqui na Ogilvy...

maruka said...

Esta ideia pode ser mal entendida, ou mesmo ñ entendida d todo em Portugal..

Sem Nome said...

Ui conversa de accont mix with cliente.
"O target não vai entender porque é burro" isto é que é uma ideia retrogada e tem de ser combatida no mundo da publicidade, principalmente no mundinho da publicidade de Portugal.
O target não é burro, o cliente e accounts é que têm medo do target. O target gosta de coisa que o fazem parar e pensar.
Daqui a nada vais dizer que tinha de se meter um sub-sub-headline para explicar e uma nota de rodapé.

Anonymous said...

best site
http://www.freeastrology.usx

skincareinfo said...

best site
http://www.skincareinfo.us

exportersinfo said...

best site
http://exportersinfo.com