September 22, 2006

O que é feito?

"What Happened To Creative Advertising?"

"Gone are the days when gray-suited admen would commute to Grand Central Terminal from the Connecticut suburbs, walk the few blocks to Madison Avenue, spend the day concocting clever, feel-good ads, collect 15 percent commissions for placing them with the three TV networks and glossy magazines, and schmooze clients over three-martini lunches.

Today, the center of gravity has moved downtown to SoHo and TriBeCa, and much of the work is done by twentysomethings in jeans and T-shirts. They earn less and work harder to peddle niche products through a fragmented media market to savvy consumers who tune out messages they find boring or irrelevant. The cushy commissions have been replaced by stingier, cost-plus-fee schedules imposed by numbers-driven corporate marketing officers who care less about the creativity of advertising than its return on investment."

[Fonte: Washington Post]

4 comments:

joao said...
This comment has been removed by a blog administrator.
joao said...

Parece-me óbvio o que aconteceu à publicidade criativa: as empresas perceberam que não compensa.
A criatividade na publicidade só é válida se servir os valores da marca e da empresa. Se reforçar percepções sobre a marca.
A publicidade não deve servir para os publicitários ganharem prémios em Cannes mas sim para as empresas e os seus produtos serem bem sucedidos no mercado. E os publicitários são pessoas inteligentes e estão a aperceber-se disso. Os artistas parece que não.
Cumprimentos,
João Plantier
http://joaoplantierassociados.blogspot.com

Anonymous said...

A criatividade ajuda a atingir o alvo, quando é eficaz e contextualizada, claro.
Não podemos é confundir bons criativos com artistas-com-uma-boa-cunha que têm na gaveta uma idéia muito gira, aplicam-no ao primeiro briefing que chega, montam-lhe uma produção muito criativa, muito cara, muito fashion mas que depois ninguém se lembra a que marca se refere.
Acho que se esquecem de que os consumidores não são parvos.
af

Mike said...

"They earn less and work harder to peddle niche products through a fragmented media market to savvy consumers who tune out messages they find boring or irrelevant." So, so true. Sign of the times.