September 20, 2006

"Sempre que brilha o Sol"



Está animada a troca de ideias e opiniões sobre a estratégia de marketing seguida pelo Expresso face ao Sol. Vale a pena dar uma espreitadela nos últimos posts que o João Pinto e Castro escreveu sobre o tema no seu Sangue, Suor & Ideias.

Na sequência do debate, estes foram os meus últimos comentários sobre o assunto. Comentários esses que começam com uma pequena tautologia introdutória:

"O que cria fidelidade a um produto é a sua experimentação".

A consequência da experimentação de um produto pode ser positiva ou negativa. Se for positiva, esta experimentação resultará numa repetição da compra do produto (vamos a caminho da "afamada" fidelização do consumidor). Se a experimentação for negativa, o produto deixa automaticamente de fazer parte das escolhas do consumidor.

Voltando à questão da estratégia utilizada pelo Expresso para fazer face ao "challenger\newcomer" que é o Sol, algumas observações:

1) Não sei que o objectivo inicial do Expresso era o de evitar a experimentação, a compra do Sol.
2) Também não sei se o objectivo do Expresso era o de aproveitar o lançamento do Sol para captar novos leitores (pessoas que não têm o costume de comprar e ler jornais durante o fim-de-semana) através da oferta de DVDs, do género: "vá lá leve o DVD para casa e quem sabe ainda começa ler o Expresso aos Sábados".

Agora, estou convicto de que o Expresso tem necessidade de defender a sua "base leal" de leitores e não deixar que estes façam o switch para o Sol. Obviamente se o Sol for bom (o conteúdo do produto, per se), não há DVDs que valham ao Dr. Balsemão.

No entanto, uma marca de sucesso não compete, ela evita precisamente a concorrência. O Sol, por um lado saltou de "peito aberto" para o mercado querendo competir com o Expresso. O Expresso, por outro lado anda a tentar evitá-lo.

4 comments:

Ler para quê? said...

Os jornais são tão parecidos em termos editoriais, que quando o Expresso acabar de dar DVD's é que se vão realmente fazer a separação das águas e ver quem opta por continuar a comprar o Expresso ou o Sol.

joao said...

Penso que a estratégia do Expresso tem sido correcta. Com a entrada de um concorrente de peso foi preciso tomar medidas, que por um lado isolassem o novo player (melhorando o layout do jornal e da web, evitando que isso fosse uma inovação do SOL) e que por outro aumentassem a interactividade com os clientes actuais (os DVS's).
A competição funciona deste modo.Lutar por quota de mercado todos os dias, neste caso todos os sábados. Porque uma coisa é certa: os outros concorrentes (o Sol) têm exactamente o mesmo objectivo.

Pedro G said...

I agree ;)

Anonymous said...

é normal a guerra editorial. acredito que um dos grandes elementos de diferenciação - e de identidade - do expresso era o formato. o mercado foi sondado: o formato do expresso é cómodo? não...querem que o expresso mude de formato? não. na dúvida, no achismo e na mira da poupança, o expresso ficou um jornalinho.
E já agora, não acham o Sol, um jornal mmmmmmmuito Independente?;-)